Obesidade aumenta o risco de infecção de Coronavírus?

Obesidade aumenta o risco de infecção de Coronavírus?

Risco de infecção não mas de complicações, sim. Na atual pandemia COVID19, a obesidade, considerada um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, está sendo alvo de preocupação ainda maior.

Risco de infecção não mas de complicações, sim. Na atual pandemia COVID19, a obesidade, considerada um dos maiores problemas de saúde pública do mundo, está sendo alvo de preocupação ainda maior.
Durante a pandemia do H1N1 de 2009, a obesidade foi reconhecida como um fator de risco independente para complicações da influenza. Portanto, não nos causa surpresa, que, neste momento, ela seja também um fator de risco para a Covid-19.
Em jovens vem se mostrando como um dos principais fatores de risco associados a complicações pelo coronavírus e, em pacientes acima de 60 anos, embora não seja considerada o fator de risco principal, as doenças associadas a ela (diabetes, cardiopatia, hipertensão arterial), são.
A orientação das autoridades é que pacientes obesos sigam as recomendações gerais de isolamento e higiene preconizadas pelo ministério da saúde e que, além disso, procurem realizar uma dieta equilibrada que não comprometa suas defesas imunológicas. Nesse sentido, o consumo de frutas, verduras e legumes que são ricos em fibras, vitaminas e minerais devem ser priorizados.
Além disso, recomendamos que estes pacientes tentem ser ativos em casa, exercitando-se por pelo menos 150 min por semana. O cuidados com sono e o estresse também são importantes!