O que se tem de concreto em relação a terapia

O que se tem de concreto em relação a terapia

O que se tem de concreto em relação a terapia de reposição hormonal (TRH)?

1. A manutenção da massa óssea e a prevenção de fraturas são efeitos do estrógeno já bem estabelecidos. ⠀
2. Estudos sugerem um benefício do estrogênio na redução do risco de doenças vasculares. Entretanto, estudos randomizados e controlados não demonstraram nenhuma evidência de que a TRH possa beneficiar as mulheres com doença vascular previamente instalada ou aquelas aparentemente saudáveis. ⠀
3. O aumento do risco de câncer de mama e doença tromboembólica tem se confirmado nos trabalhos.⠀
4. Os riscos da TRH são cumulativos com o tempo de uso.⠀
5. São considerados contraindicações para TRH: câncer de mama, câncer de endométrio, tromboembolismo, hepatopatia, cardiopatia grave e sangramento uterino sem causa diagnosticada.⠀
6. A TRH deve ser administrada precocemente e seu benefício é maior quando iniciada na perimenopausa e entre os 50 e 59 anos de idade. Nessa população pode conferir proteção cardiovascular, ao passo que o início em idade avançada, após 10 anos sem estrógeno endógeno, pode vir a ser prejudicial. Mulheres acima dos 60 anos de idade não devem iniciar a THM. ⠀
7. O tempo de duração da THM é questionado e deve ser individualizado. Para a reposição com estrógeno isolado, existe maior flexibilidade quanto ao tempo de uso.⠀