Chris Pratt faz dieta restritiva inspirada na Bíblia; entenda como funciona

Chris Pratt faz dieta restritiva inspirada na Bíblia; entenda como funciona

O ator americano Chris Pratt, que fez filmes como “Jurassic World” e “Vingadores”, também é gente como a gente e exagerou nas festas de fim de ano.Para recuperar a boa forma e se livrar dos quilos a mais, ele contou para seus seguidores no Instagram que vai começar a dieta “Daniel Fast” (Jejum de Daniel, em tradução livre), e seguirá firme e forte no método por 21 dias.

O processo envolve uma questão de fé. Não só fé de que você conseguirá ficar longe das tentações dos carboidratos por quase um mês, mas também porque a dieta é baseada na história de Daniel do Antigo Testamento. Segundo a história, Daniel se absteve de algumas comidas e bebidas agradáveis, como carnes e vinhos, e vivia somente com verduras, legumes e água.

 

Como a dieta funciona?

O site oficial do método descreve o cardápio como “limitado a alimentos cultivados a partir de sementes e uma única bebida, a água.” Quem topar o desafio pode baixar listas que deixam claro o que é tolerado e o que deve ser riscado do menu.

 

O que pode:

  • Todas as frutas;
  • Todos os vegetais;
  • Todos os legumes;
  • Todos os óleos de boa qualidade (como de oliva, girassol, canola, milho);
  • Todas as nozes e sementes;
  • De bebida só água;
  • E é liberado tofu, produtos da soja, vinagre, temperos, sal, ervas e especiarias.

 

O que é vetado:

  • Todas as carnes;
  • Todos os produtos derivados de animais (como queijo, leite, manteiga e ovo);
  • Todo tipo de adoçante (açúcar, mel, stevia, sucralose etc.);
  • Todos os agentes fermentadores e todo pão levedado;
  • Todo alimento processado ou refinado;
  • Todo tipo de gordura sólida;
  • Toda fritura;
  • Bebidas alcoólicas, café, chás, energéticos, refrigerantes.

Além da mudança no cardápio, a dieta também sugere orações. Por ser baseado na Bíblia, o método traz a ideia de que o novo menu ajuda a focar em uma experiencia espiritual e ajuda a purificar corpo e alma. Os responsáveis aconselham que quem tem algum problema de saúde converse com um médico antes de iniciar a mudança.

 

E funciona? É confiável?

Tirar todos os alimentos industrializados do cardápio e potencializar o consumo de legumes, verduras e frutas nunca é má ideia. Todos os nutricionistas vão aplaudir você de pé com essa decisão e seu corpo com certeza vai agradecer.

Durval Ribas Filho, médico nutrólogo e presidente da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia) conta que o método tem consistência científica. “Estudos mostram que a ‘Daniel Fast’ melhora fatores de risco para doenças metabólicas e cardiovasculares, além de aumentar o bom colesterol (HDL). Ajuda ainda a aumentar as vitaminas e minerais, dobra a quantidade de fibras e diminui drasticamente a ingestão de gorduras saturadas”, pontua Filho.

Mas existem algumas questões que podem ser discutidas e questionadas no plano alimentar.

“É uma dieta quase vegana, né? Exclui tudo de origem animal. Isso não é um problema, esse movimento está crescendo e estudos mostram que conseguimos proteínas de outras fontes, não só da carne. Mas não aconselho fazer essa transição de uma hora para outra, tem que ser estrategicamente calculado e organizado com um profissional da saúde,” comenta Andrea Marim, nutricionista funcional e esportiva.

A mudança repentina na alimentação pode dificultar a permanência da pessoa no programa. A tendência é que quanto mais radical é a mudança de hábito, maior é a taxa de abandono.

“O impacto de uma dieta não é só pela quantidade de peso que você perde, mas pelo que você perde e consegue manter. Acho que essa dieta pode ser um ponta pé inicial para quem quer perder peso, mas o paciente precisa lembrar que não poderá voltar a comer tudo que comia, precisará de uma reeducação alimentar”, explica a endocrinologista Rosália Padovani. “E é importante pensar no que causou o ganho de peso, se for compulsão ou ansiedade, por exemplo, é preciso cuidar disso também,” completa Padovani.

Os profissionais levantaram ainda a bandeira de que a dieta só aponta o que pode e não pode, mas não dá noções de quantidade ou horários para ingestão, fica tudo um tanto vago. “O que não pode é comer à vontade. É preciso ter controle se o foco é perder peso”, diz Marim.

Além disso, quem se aventura em uma missão alimentar assim precisa ter noções básicas do que e quando comer, pensando quando o corpo precisa de proteínas, gorduras ou carboidratos, segundo Thamires Pereira, nutricionista da Clínica Megamed.

“Tem que tomar cuidado com as escolhas. Você pode querer comer banana o tempo todo, mas seria melhor optar por abacate para quebrar o jejum e lentilha no pós-treino, por exemplo. Essas trocas são importantes e uma nutricionista ou nutrólogo saberão indicar as melhores opções”, afirma Pereira.

De forma geral, a dieta é bacana, mas um acompanhamento médico é essencial para não ter cansaço, indisposição e não desistir.

“É mais uma dieta da moda? É! Cada semana sai uma nova? Sai! Mas acho que essa é uma que as escolhas ao menos são boas e se servir para as pessoas terem uma melhor alimentação e reduzirem o peso, não há contraindicação. Mas o bom senso sempre é ideal, certo?”, encerra Filho.

Fonte: https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2019/01/16/chris-pratt-faz-dieta-restritiva-inspirada-na-biblia-mas-funciona-mesmo.html

Conheça mais as especialidades da Dra. Rosália Padovani